A Carta da Terra

A Carta da Terra é um documento que nos serve como parâmetro para as escolhas e foi adaptada para as nossas ações, onde nos coloca o seguinte:

1. Respeitar a Terra e a vida em toda a sua diversidade.

2. Cuidar da comunidade da vida com compreensão, compaixão e amor.

3. Criar situações que possam favorecer garantia das dádivas e da beleza da Terra para as atuais e as futuras gerações.

4. Criar projetos para contribuir na proteção e restauração à integridade dos sistemas ecológicos da Terra, com especial preocupação pela diversidade biológica e pelos processos naturais que sustentam a vida.

5. Prevenir o dano ao ambiente como o melhor método de proteção ambiental e, quando o conhecimento for limitado, assumir uma postura de precaução.

6. Priorizar parcerias que adotem padrões de produção, consumo e reprodução que protejam as capacidades regenerativas da Terra, os direitos humanos e o bem-estar comunitário.

7.  Elaborar ações que possam contribuir na erradicação da pobreza como um imperativo ético, social e ambiental.

8. Promover o desenvolvimento humano de forma equitativa e sustentável.

9. Criar momentos que envolvam a Arte para defender, sem discriminação, os direitos de todas as pessoas a viver em ambiente natural e social, capaz de assegurar a dignidade humana, a saúde corporal e o bem-estar espiritual.

10. Criar um movimento dentro do Estúdio Mandala para que se fortaleça enquanto instituição democrática, em todos os níveis, criando um processo de transparência e prestação de contas e participação inclusiva na tomada de decisões.

11.  Criar ações voltadas à Integração entre a educação formal e não formal enfatizando a importância da aprendizagem ao longo da vida, os conhecimentos, valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável.

12. Tratar todos os seres vivos com respeito e consideração.

13. Promover uma cultura de tolerância, não-violência e paz.

Com base em tais princípios, espera-se as seguintes atitudes que devem fazer parte do desenvolvimento individual num processo de construção respeitoso e colaborativo:

1. Primazia do Amor e a Arte - a Primazia de amar vem com a arte que encanta, que faz os olhos brilharem, é o que nos faz Amar e ter o desejo de diferentes realizações com harmonia e beleza.

2. Valorização da vida - minimalismo: quando a vida é valorizada, priorizamos ser e estar e deixamos o ter de lado. Um fortalece o outro.

3. Espiritualidade - Liderança: a escolha de ser um líder de si e de um grupo perpassa pela capacidade de entender a minha espiritualidade que precisa estar em equilíbrio com a matéria. Assim, aprendo qual o serviço que tenho a cumprir e me abro para ser um líder servidor.

4. Autoconhecimento - economia solidária: ao saber quem eu sou e entender como sou influenciada e como posso influenciar, percebo o meu papel na sociedade e entendo a solidariedade como fator principal nas minhas escolhas como cidadã.

5. Viver com propósito - decisões e responsabilidades compartilhadas: quando o propósito está ligado ao Amor Universal, os interesses e responsabilidades são coletivos e tudo flui.

6. Trabalho - práticas colaborativas: trabalho efetuado com base na Primazia do Amor tem como fundamento a prática colaborativa.

7. Sustentabilidade - educação e conhecimento: ser sustentável perpassa pela maneira como sou educada e qual o conhecimento que me influencia a cuidar de mim, do outro e do meio ambiente. E esse movimento tem que ser divertido.